Crepes de arroz e um convite para jantar

Hoje trago mais um convite para jantar da Ana mas desta vez foi a Suvelle Cuisine que lançou o tema e não podia ter escolhido melhor.

Nesta 3ª edição trago mais uma personagem que adoro bastante, acho que para quem nasceu nos anos 80 basta ouvir esta musica para voltar a ser criança, pelo menos comigo aconteceu isto alguns dias atrás. Era impossível não escolher a Ariel a Pequena Sereia, sabia as músicas deste filme todas e ainda na versão em Brasileiro. A VHS deve ter tocado vezes sem conta lá em casa com as amigas, as colegas de escola, os sobrinhos e com a família. Era completamente viciada neste filme, e como todas as crianças sonhava ser uma sereia.


O melhor deste convite não foi a receita em si, mas o que me levou a escolher A Pequena Sereia. Com o passar dos anos já nem me lembrava deste filme nem da boneca questão, até que neste Natal alguém ofereceu à minha sobrinha de 5 anos a boneca original da Disney que encontram nas imagens. Lembro-me de ter olhado para a boneca e pensar, que sonho seria ter esta boneca em criança. Quando a Su lançou o novo tema pensei logo em falar com a minha sobrinha sobre a boneca e então foi isto que aconteceu:

Eu: Ainda tens a Sereia Ariel?
Ela: Xim tia tenho, porquê?
Eu: Podes emprestar à tia por um tempinho?
Ela: (os olhos dela brilham) posso, queres brincar com ela?
Eu: Não! Quer dizer sim...é que a Tia tem um blog e vou ter de lhe fazer um jantar.
Ela: (sorri) e diz está na minha casa podemos lá ir buscar agora.
Ela: (segundos depois) mas tia ela é uma boneca e ela não come sabias?!

Tentei explicar melhor e lá fomos a casa dela buscar a sereia, por mais estranho que pareça estava como nova e ainda com as roupas originais, eu vibrei quando passado segundos ela me diz queres ver o filme, tenho-o aqui :) e acabámos por ver as duas partes do filme original (já na versão em Português) o que para mim foi uma desilusão, sei que tem a sua lógica nos dias de hoje mas não é a mesma coisa.

Acabou por me dar a boneca sem qualquer hesitação. Passado uns dias viu-me e antes de me dar um beijo pergunta logo, tia já meteste a Ariel no teu blog? Achei lindo, mesmo sabendo que ela não faz a mínima ideia do que é um blog. Este post não é só um voltar à infância é sentir que passados quase 30 anos ainda há meninas por aí a cantar as musicas do filme da Pequena Sereia mesmo com milhões de filmes de expulsões, 3d e princesas bem mais bonitas à sua volta. Um bom filme é sempre bom!

Voltando ao jantar, pensei em oferecer a Ariel algo que lhe fizesse lembrar o mar mas não fosse obrigatoriamente peixe, foi então que surgiram estes crepes de arroz bem leves com um toque muito ligeiro a molho de peixe e foi assim que jantámos ao som desta música.

Um muito obrigado à minha querida sobrinha que é a princesa mais bonita do mundo, e que em breve vai ter a Ariel de volta (com muita pena minha).


Ingredientes: 6 crepes
6 folhas de arroz
6 fatias de beterraba crua
1/2 courgette
2 rabanetes
1 cebolinha
1 chav. de Oriente Rice Thai Jasmin
3 colheres de sopa de rúcula
2 colheres de sopa de rebentos de soja
salsa para decorar

Molho:
1/2 colher de café de molho de peixe
1 colher de café de vinagre balsâmico
1 colher de café de molho de soja
1 colher de chá de azeite
1 colher de chá de açúcar mascavado
sal e pimenta q.b.
água q.b.
sementes de sésamo tostadas q.b.

Comece por cozer o arroz com uma pitada de sal, de seguida corte todos os ingredientes para ser mais fácil na montagem no crepe. Eu cortei a beterraba em forma de estrela para dar uma certa graça, os rabanetes foram cortados o mais fino que conseguir e as courgettes aos palitos (tipo juliana), à rúcula juntei aos rebentos de soja e temperei com sal, pimenta, azeite, soja, vinagre balsâmico e reservei. A salsa e a cebolinha foram cortadas normalmente. Depois do arroz cozido, passar por água fria para arrefecer mais rápido e ajudar a tirar a goma.

Para começar a preparar os crepes tente ter todos os ingredientes por perto e seguir os passos da imagem, existem várias maneiras de enrolar este tipo de crepes esta para mim foi a que achei mais fácil e penso que depende muito do que é colocado no interior, as courgettes ajudaram a definir a forma do crepe.







 Depois dos crepes finalizados acabei por fazer um molho, tendo como base água, o molho de peixe, o de soja, uma pitada de vinagre balsâmico, azeite, açúcar, o resto da cebolinha e as sementes de sésamo tostadas na hora. Eu não sou dada a molhos Asiáticos fortes, gostei deste porque achei que acabou por ficar muito leve com ajuda da água e do açúcar.

As folhas de arroz podem comprar (bem baratinho) nas lojas de produtos Asiáticos no Martim Moniz em Lisboa existem
de vários tamanhos e até em meia-lua, nestes crepes comprei o tamanho mais pequeno (16cm).
Receita inspirada deste fantástico livro.

Gelado de banana e manteiga de amendoim

 ADORO gelados! Não sei se já tinha dito por aqui mas a minha perdição são os do Santini e o perna de pau da Olá. Andei a pesquisar na internet como fazer gelados sem ter de comprar mais uma máquina especial. Fiz em tempos o gelado de morango da Bimby na minha liquidificadora cá de casa mas não sei se foi do leite evaporado, achei que ficou um pouco "pesado" e acido. Encontrei por acaso em alguns blogs internacionais maneiras de fazer gelados apenas com 1 ingrediente, a fruta (sem natas, leite, ou algo do género), no inicio desconfiei.. mas lá acabei por fazer e foi então que me tornei uma mulher mais feliz :) por isso, se gostam de banana e amendoim sigam esta receita. Eu acho que nunca tirei fotografias a uma receita tão rápido como a estas, juro que não! :)

Ingredientes:
4 bananas congeladas
1 colher de sopa de manteiga de amendoim
amendoins q.b.

Cortar 4 bananas maduras (têm mesmo de ser maduras, aproveitem aquelas que por vezes ficam na fruteira e ninguém lhes pega) e congelem. Eu deixei congeladas uma noite mas à quem diga que 4 horas chegam. Retirar as bananas do saco de congelação e colocar ainda congeladas no food processor/liquidificadora, colocar a lamina de metal caso usem o food processor e deixar ligado no botão pulse, ou seja a ideia não é triturar logo tudo de uma vez mas sim, aos poucos até ficar cremoso. Vão passar por uma fase que parece areia de praia húmida mas continuem. Assim que ficar cremoso, quem for saudável pode retirar e comer, quem tiver uma atitude mais rebelde :), acrescente 1 colher de sopa de manteiga de amendoim, ou chocolate quente/pepitas de chocolate de mexa um pouco mais (desta vez sem o pulse ligado) eu coloquei manteiga de amendoim porque adoro com banana, depois basta servir e ser feliz :) 



Não sei se com outro tipo de fruta fica assim tão cremoso mas se alguém souber, diga alguma coisa que amanhã faço já outro.

Almoço leve para uma pessoa

Quando fico sozinha em casa nas refeições nunca sinto grande necessidade de fazer comer mais elaborado, como é só para mim parece que não saí nada de jeito, por isso muitas das vezes acabo por fazer sandes tipo esta. Com restos de couve roxa e queijo creme no frigorífico saiu esta sandes a acompanhar um sumo de uns pêssegos que tinha congelados algum tempo com umas folhas de menta da "horta" e um fio de mel.



Ingredientes (1 pessoa)
1/5 de uma couve roxa
1/5 de uma couve lombarda
2 fatias de beterraba
2 fatias de pão caseiro
4 colheres de sobremesa de queijo creme
1 colher de sopa de azeite com aroma manjericão e tomate
1/2 colher de sopa de vinagre de arroz
sementes de sesámo pretas q.b
salsa q.b.

Cortar a couve bem fina e as fatias da beterraba cortar tipo "juliana", misturar o azeite, o vinagre de arroz e deixar a absorver o sabor uns minutos enquanto corta as fatias do pão e torra ligeiramente na torradeira, depois de torrado pincelar com um fio de azeite e começar a "montar" as fatias. Primeiro a couve depois as colheres de queijo creme, a salsa, as sementes e regar com mais um fio de azeite.

Numa liquidificadora colocar  1/2 chávena de pêssegos (vermelhos) com 2 folhas de menta e 1 colher de chá de mel, um pouco de água e triturar tudo muito bem.

Favas salteadas

Depois de ter visto toda a temporada (numa só tarde) deste fantástico programa do qual saiu este fantástico livro do quase Australiano Luke Nguyen que eu sou fan de verdade, era impossível não deixar passar em vão, por isso aqui vos deixo as minhas favas com um toque Vietnamita :)


Ingredientes:
3 chav. de favas congeladas
1 chav de ervilhas congeladas
2 dentes de alho
1/2 colher de café  gengibre seco
2 colheres de sobremesa de pimentos verdes cortados
3 colheres de sobremesa de coentros frescos picados
flor de sal q.b.
azeite e vinagre de arroz
1 chav de azeitonas verdes sem caroço
4 colheres de sobremesa de amendoins tostados


Cozer as favas e as ervilhas em água com sal e reservar. Numa wok já quente colocar o azeite, o alho, o gengibre e saltear até ficarem dourados, de seguida colocar o pimento e saltear novamente 2 minutos, as azeitonas e saltear cerca de 3 minutos sem para de mexer, depois as favas e as ervilhas  cerca de 5 min. se achar que está muito seco coloquem mais um fio de azeite para não agarrar. Um minuto antes de retirar do lume colocar os coentros e os amendoins torrados (minutos antes piquei os amendoins com uma faca e levei ao lume numa frigideira pequena para ganharem alguma cor). Podem retirar do lume e servir com mais um fio de azeite e uma colher de sobremesa de vinagre de arroz.

Quem gostar de comida asiática aconselho a verem este programa no canal foodnetwork e quase de certeza que se vão apaixonar pelas receitas/paisagens como aconteceu comigo.




Panquecas Americanas de banana e tangerina

Hoje trago umas panquecas estilo Americano com banana e sumo de tangerina, é uma óptima sugestão para fazer no fim de semana que está quase a chegar.


Ingredientes:
3 ovos
115 gr de farinha
raspa de 1 tangerina
sumo de 3 tangerinas
1 banana grande madura
140ml de leite
1 pitada de sal
1 colher de chá de fermento
1 colher de chá de mel

Separar as claras das gemas, juntar às gemas a farinha, o fermento (peneirados) e o leite pouco a pouco, no final o sumo de 1 tangerina e as raspas da mesma. Bater as claras em castelo com o sal até formar picos suaves e envolver tudo muito bem.

Numa frigideira com um pouco de manteiga ir colocando a massa com ajuda de uma colher de servir a sopa e por fim em cada uma das panquecas colocar aproximadamente 3 fatias de banana, quando a massa começar a borbulhar virar para a parte que ainda não está cozida (a das bananas) e deixar até ficarem bem douradas. Repetir o processo até acabar a massa.

Como repararam a massa não leva açúcar mas com ajuda das bananas fica boa no entanto, se gostarem de um pouco mais de doce, numa caçarola pequena deitem o sumo de 2 tangerinas com um pouco de mel e levem ao lume até ferver, deitem por cima das panquecas ainda quente e mais não digo :)

Receita com base no livro Dias felizes com Jamie Oliver.



Tintureira no forno

Parece que estamos no verão, para uns isto é um grande problema por falta da chuva para outros é a verdadeira loucura que até já andam pela praia em bikini. Gosto muito de sol, mas uma chuvinha fazia falta para as minhas ervas aromáticas crescerem um pouco mais. Este ano tenho plantado salsa, coentros, manjericão, cebolinho, alecrim, malagueta, hortelã, menta e pela primeira vez os tomilhos. Num vaso grande plantei por graça um limoeiro o verão passado que me presenteou com dois limões amarelinhos e está cheio de flor novamente, fiquei tentada em plantar uma laranjeira.. mas tenho cá em casa quem me lembre que vivo num 1º andar de um apartamento :)

Com sol ou com chuva o peixe sabe bem, por isso hoje trago uma tintureira no forno e alguma esperança que este tempo nós traga algo de bom, seja com chuva ou sem ela.

Ingredientes peixe:
2 postas de tintureira
1 tomate chucha
2 fatias de bacon fumado
salsa q.b.
flor de sal, pimenta rosa, azeite q.b.
Vinagre balsâmico q.b. 

Ingredientes legumes:
1/2 couve lombarda
1 molho de agriões
raspas e sumo de uma lima
2 dentes de alho
flor de sal, pimenta

Ingredientes Couscous:
1/2 chávena de coucous médio
2 colheres de amêndoas
flor de sal, pimenta, azeite
água q.b.





Temperar o peixe com flor de sal e pimenta rosa, num pirex colocar 1 fio de azeite e as postas. Por cima colocar as fatias do bacon fumado, com as rodelas do tomate e a salsa picada, regar novamente com azeite e vinagre balsâmico. Levar o peixe ao forno durante 30 min a 180º.
Numa wok colocar os dois dentes de alho e saltear ligeiramente com um fio de azeite de seguida, colocar a couve e o agrião previamente lavados e cortados a gosto, temperar com sal e pimenta, saltear uns minutos e deitar o sumo de uma lima e as raspas antes de servir.
Cozer o couscous, temperar com azeite pimenta e sal. Numa frigideira bem quente saltear umas amêndoas laminadas e colocar por cima do couscous antes de servir.
Espero que gostem!

Bolo de sementes de papoila rápido

Hoje trago um bolo feito na liquidificadora, para quem não gosta de sujar a cozinha é do melhor.. Ficam bolos muito fofos e são extremamente rápidos a fazer, tudo lá para dentro e carregar no botão.

Ingredientes:
4 ovos
2 colheres de sopa de manteiga
1 laranja grande (sumo)
1 chav de açúcar
2 chav de farinha
1 colher de sopa de fermento
2 colheres de sopa de sementes de papoila

Numa liquidificadora colocar todos os ingredientes pela ordem que escrevi em cima, e ir triturando a cada ingrediente adicionado para não empapar. Retirar da liquidificadora colocar as sementes de papoila e depois numa forma de bolos previamente untada levar ao forno durante 40 min a 180º ou até o teste do palito dar positivo.

E já está!

Risoto de polvo e um convite para jantar

Cá estou eu novamente para mais um convite para jantar, depois do convite lançado pela Ana agora foi a vez da Suzana lançar o convite a um chef/cozinheiro das nossas vidas.

São muitos os chefs/cozinheiros que admiro mas confesso que o Jamie Oliver foi e será o culpado de tudo isto, acho que se ele não existisse provavelmente a Marmita também não existiria.

Leio muitas vezes pelos blogs que muitas de vocês receberam o "gosto" de cozinhar pelas vossas mães/avós e acho lindo. Comigo não se passou assim, apesar de a minha mãe não ser má cozinheira nunca tive grande curiosidade em aprender a cozinhar enquanto vivia em casa dela. Quando acabei por sair de casa ainda bem nova aí sim, ligava-lhe a perguntar como se faz isto ou aquilo num desespero total... mas posso dizer que o "gosto" pela cozinha foi pelo Jamie e pelos seus programas ao longo destes anos. A sua simplicidade, humildade a cozinhar, o gosto pelo que vem da "terra" e a sua rapidez de execução. Por isso, não fazia sentido convidar qualquer outro chef.

Jantava com muito gosto com ele, talvez acabasse por ser ele fazer o jantar e eu ficava fixada a olhar como se de um novo programa se trata-se, bem real na minha cozinha.  Acabava por lhe ir mostrar as minhas ervas aromáticas na varanda, as compotas que vou fazendo, os azeites aromatizados, todas as conservas que tento fazer cá em casa, acho que ele se sentiria orgulhoso de mim.

Este jantar tinha de ser especial, por isso lembrei-me de fazer um arroz de polvo bem Português... mas depois pensei e porque não risoto que ele tanto adora por isso, peguei num polvo fresco que tinha cá em casa que um amigo do meu marido pescou na margem sul, juntei-lhe um arroz de risoto, uns coentros cá da "horta" e acabei com um queijo em azeite à espera de ser utilizado algum tempo



Ingredientes:
1 polvo (500 grs)
2 cebolas
1 dente de alho
2 colheres de sobremesa de sementes de funcho
sal, pimenta e mostarda em grão moída
1 chav de arroz de risoto
1 molho de coentros
 Queijo de cabra ou parmesão q.b.

Numa panela bem grande colocar o polvo, uma cebola inteira, as colheres de sementes de funcho, a mostarda e a pimenta, deixar cozer durante 45 minutos ou até o polvo ficar bem tenro.

Numa panela mais pequena picar a cebola e um pouco de coentros, regar com com um fio de azeite e refogar uns minutos até a cebola ficar bem dourada, e depois fazer o processo do risoto ver aqui usando o caldo onde foi cozido o polvo, tive de o coar por causa das sementes e depois colocar á medida que o risoto vai "pedindo", em vez de vinho desta vez usei rum e no final servi um prato com parmesão e outro com o queijo de cabra aromatizado e bastante coentros frescos por cima

E assim foi o meu jantar!





Sal com aroma de citrinos

Aqui vao duas variações de sal para colocarem na vossa dispensa, um bom fim de semana!


Ingredientes:
2 limões grandes
2 laranjas grandes
20 colheres de sopa de sal marinho grão grosso

Raspar a casca dos limões e das laranjas, colocar em tigelas separadas juntar 10 colheres de sal em cada tigela e mexer muito bem. Colocar em frascos esterilizados e bem fechados ou pimenteiros de moer (que foi o meu caso) e deixar apurar alguns dias sem abrir.

Fica um sal com um aroma óptimo e ao contrário dos que se vendem, fica muito mais barato e ao gosto de cada um. Eu neste caso só coloquei citrinos porque gosto sempre de adicionar as especiarias á parte nas minhas refeições mas podem fazer mil e uma combinações e colocar em frasquinhos prontos a usar.