Risoto de abóbora e 5 pimentas

Gosto de comida com sabor, adoro especiarias, ervas aromáticas e sabores bem marcados! Se há coisa que odeio é comer comida sem personalidade, sem um toque especial, sem algo que na primeira garfada nos faça dizer: Ai que bom, como é que eu nunca me lembrei disto antes! Este risoto surgiu depois de ter experimentado a nova Becel cozinha líquida que gentilmente a Becel me enviou. Pensei logo em fazer um risoto rico em sabores cheios de Halloween. O meu marido teima em dizer que só risoto não é comida, falta aqui qualquer coisa, diz ele! Um peixinho ou um bife, não? Homens... Mas este ele adorou, diz que foi do mix das 5 pimentas mas eu acho que foi mais o toque a Licor :)

Ingredientes: 2 pessoas
1 litro de caldo vegetal (não cheguei a usar todo)
240 gr abóbora
2 colheres de sopa de Becel líquida
200 gr de arroz para risoto
5 pimentas, curcuma, pitada de sal
1 chalota
1 dente de alho
Licor beirão q.b.
queijo Manchego curado q.b.

Colocar numa panela 1 litro de água e deixar ferver, de seguida juntar o caldo Knorr vegetal e temperar com 1 pitada de curcuma para ajudar à cor, uma colher de café do mix das 5 pimentas e 1 pitada de sal, deixar ferver 2 minutos e reservar na panela tapada e sem estar ao lume.

Noutra panela colocar uma colher de sopa de Becel líquida, derreter ligeiramente (tendo em conta que é líquida o processo é bem mais rápido e na minha opinião fica mais cremoso). Colocar a chalota, o alho e deixar alourar um pouco. Juntar a abóbora cortada em pequenos cubos e deixar absorver o sabor da manteiga (começam a sentir um aroma óptimo na vossa cozinha acreditem), eu como gosto de sentir a abóbora bem esmagada adiantei um pouco o processo de cozedura do risoto e deixei cozer a abóbora primeiro antes de colocar o arroz. Deitei 1 concha de caldo e mexendo um pouco, deixei evaporar a água e só depois coloquei a seguinte concha de caldo. No total para a abóbora cozer coloquei 3 conchas de caldo, na terceira deixei evaporar novamente e com ajuda de um garfo esmaguei a abóbora o máximo que consegui, só de seguida deitei o arroz. Mais uma vez deixei o arroz 2 minutos absorver o sabor da abóbora e reduzi com um pouco de Licor Beirão (podem usar vinho, eu é que como não tinha nenhuma garrafa aberta usei o Beirão). De seguida continuar o processo do risoto: caldo, mexer, caldo, mexer até ficar bem cremoso e cozido. Para ajudar à cremosidade depois de desligado coloquei a segunda colher de sopa de Becel líquida e logo de seguida ralei o queijo (podem usar o habitual parmesão, eu é que como cá tinha o meu queijinho espanhol preferido, não resisti).


Mas uma vez um muito obrigada à Becel, sempre atenta ao que é mais saudável e saboroso para todos nós.


Granizado de uva e mel

Antes que o frio chegue mais a sério a Marmita este ano ainda não tinha feito as vindimas por isso aqui vai :) com tanto desafio ultimamente este post acabou por ser passado para trás. Hoje trago um granizado que fiz num daqueles dias de calor, com uvas vindas directamente de Viseu, acho que já tinha dito por aqui ou aqui, o quanto eu adoro granizados... Este infelizmente deve ser o ultimo que posto este ano!


Ingredientes:
2 cachos de uvas
1 colher de sopa de mel
2 couvetes de gelo

Numa picadora ou robot de cozinha colocar as uvas sem o pé e triturar tudo muito bem, num passador deixar passar tudo lentamente e acrescentar o mel a gosto.

Picar o gelo todo até ficar (flocos de neve), colocar nos copos e deitar o sumo por cima do gelo até atingir a textura desejada eu confesso que adoro sentir o gelo mas há quem goste tipo sorvete, fica ao vosso critério.


Bolo de banana e iogurte

Bem sei que já chegou algum tempo, mas só agora tive vontade de voltar a colocar a mantinha na sala e de fazer um bolinho, porque com esta chuva a cair lá fora não apetece mais nada. Venho aqui comemorar o Outono ou antes, a bela chuva que caí lá fora e que faz tão bem às minhas ervas aromáticas da varanda :)

Ingredientes:
3 ovos
180 g de açucar mascavado
100 g de margarina sem sal
1 iogurte natural
180 g de farinha
1 pitada de sal
1 colher de sopa de fermento em pó
2 bananas
açúcar em pó e canela q.b.

Numa batedeira ou no robot de cozinha colocar a manteiga, o açúcar e bater muito bem. De seguida juntar ovo a ovo sem deixar de bater, adicionar o iogurte e a farinha com o fermento e o sal (peneirados). Colocar o preparado numa forma redonda untada, a banana cortada às fatias e levar ao forno 40 min a 180º ou até que o teste do palito der bem limpinho.

Por fim polvilhe com canela e açúcar em pó baunilhado.

Mais uma vez gostaria de agradecer a todos que vão aparecendo pouco a pouco pelo facebook da Marmita, já somos mais de 2000 :)


Receita inspirada no livro base da bimby.

Sumo de maçã com gengibre

Hoje este post vai pertencer a um menu fantástico no qual eu tive muito prazer em participar, somos 7 blogs que em forma de agradecimento à Helena do Sabores de Canela decidimos fazer um menu digno de restaurante, escolhendo cada uma de nós 1 prato que nos fosse mais "querido" do seu blog. Eu escolhi uma bebida porque adoro fotografar bebidas e porque sempre adorei esta em especial. Com ela, acabei por utilizar pela primeira vez a minha nova lente 1.4 (que mais uma vez) com ajuda preciosa da Helena lá me consegui decidir, muito obrigada à Helena mais uma vez e a todas as meninas que me convidaram para entrar neste menu de sonho.
Aqui vai o menu das 7 fantásticas:
Entrada . Espargos com presunto
Pão . Pão de Alfarroba e sementes
Sopa . Creme de ervilhas com funcho
Peixe . Massada de Tamboril
Carne . Empadão de Frango com lima
Bebida . Sumo de Maçã e gengibre
Sobremesa . Coulant de Alfarroba









Ingredientes: 
6 maças
10 g de gengibre fresco
4 estrelas de anis
400 g de gelo picado 

Lave e corte as maçãs, retire o caroço (eu usei a casca) e introduza liquidificadora ou robot de cozinha e coloque o gengibre intercalado com o fruto. Verta o sumo obtido para uma panela com o anis estrelado e aqueça até à ebulição. Deixe arrefecer, retire o anis estrelado e reserve no frio.
Antes de servir divida o sumo pelos copos, complete com gelo picado e coloque uma estrela de anis no topo.

Ceviche de peixe fresco e um convite para jantar

Hoje trago-vos um ceviche! Quem não é familiar com o prato veja aqui.  Para mim foi uma experiência única que aconselho a toda a gente que goste de peixe fresco. Como experiência única que foi obviamente que gosto de as partilhar com quem mais gosto. Por isso aqui vai uma refeição única para um convidado único que simplesmente adoro.


Quem é António Zambujo perguntam vocês. Pois bem, ele é grande, um génio da voz com simplicidade humildade e é bem português.

Já sigo a sua carreira à largos anos e ouvi-o ao vivo inúmeras vezes. Não interessa o espaço onde actua, seja o Coliseu, um jardim ao ar livre para apenas meia dúzia de pessoas, é sempre um espectáculo por excelência. Quem não o conhece vale a pena vir aqui vão encontrar 5 discos com musicas fantásticas como estaesta ou esta. Pergunto-me por vezes porque que um artista destes não tem o reconhecimento que deveria ter no seu pais? Porque que consegue encher salas inteiras no Brasil e tocar em grandes festivais pelo mundo inteiro e aqui no palco que o viu nascer não é bem assim. Se calhar não quer, ou não está para isso, porque acredito que se quisesse tinha! Disso eu tenho a certeza. Também não o vejo a ter um grupo de fãs histéricas com cachecóis à espera que ele toque 3 dias seguidos no pavilhão atlântico ou a dar sessões de autógrafos durante 5 horas seguidas. Vejo-o antes a ser feliz com a música que canta, com os concertos intimistas que dá, com a rapidez com que arrepia qualquer pessoa com a sua voz, através daquela acentuação de palavras que só ele consegue fazer. Traz-nos o melhor do canto alentejano e faz-nos sorrir através das letras da sua música, sonhando com o seu melódico assobio. Eu prefiro assim: 'Tê-lo' só para quem o quer ouvir, para quem gosta de ouvir cantar a nossa língua tão bem.

Confesso que este tema foi dos mais difíceis de decidir. Não é nada fácil escolher um cantor ou banda, simplesmente porque passei por tantas fases musicais durante a minha vida e estou certa que até ao final desta vou ouvir mais e mais coisas diferentes. Escolhi o António Zambujo porque é português e porque actualmente o ouço, ele é a voz que canta a maior parte dos poemas que aparecem nas fotografias do meu blog ao longo deste tempo, como tal não faria sentido escolher outro musico.

Espero que gostem do meu convidado e do jantar. Mais uma vez, um obrigado à nossa Ana por não se esquecer de trazer os nossos jantares e à Vera que lançou um tema tão desafiante, mais uma vez adorei participar.



Ingredientes marinada:
4 filetes de peixe porco (fresco)
Sumo e raspas da casca de 3 limões
1colher de sobremesa de pimenta rosa

Ingredientes tempero:
2 colheres de sopa de pickles de pepino caseiros
cebolinho fresco q.b.
3 fatias de pão Alentejano 
azeite q.b.
oregãos q.b.

Fazer filetes ou partir em pedaços pequenos do peixe fresco e deixar a marinar no sumo dos limões/raspas e com a pimenta rosa durante 2 horas, o ideal é deixar a noite toda, mas como nós queríamos para o almoço acabou por ser só duas horas mas foi o suficiente.

Passadas as duas horas, retirar da marinada e servir. Eu utilizei os pickles que fiz algumas semanas antes picados e cebolinho fresco, temperei com azeite e acompanhei com um pão Alentejano torrado aromatizado com azeite e oregãos.

O Jantar foi servido com muita musica à mistura onde se falou do ultimo concerto que deu e no próximo que vai dar no Coliseu em Dezembro, este jantar teve certamente que ser para 3 porque, aí de o meu marido que não fosse convidado tb adora ouvir o António cantar e é o meu companheiro de tantos concertos e de tantas bandas há mais 12 anos.

Folhados da Marmita

Quem me conhece pessoalmente sabe as vezes sem conta que já fiz folhados, para a família, amigos, conhecidos, em aniversários, lanches, almoços, jantares até para sobrinhos doentes e acreditem que nunca os faço da mesma maneira, são tão fáceis de fazer e rápidos por isso é que tento inovar sempre qualquer coisita em cada um, já tinha postado anteriormente algumas versões aqui e aqui. Hoje trago mais outras duas!

Ingredientes: (Nutella)
1 embalagem de massa folhada (redonda)
1 colher de sopa de nutella
1 colher de sopa de amendoins
1 ovo (pincelar)
1 colher de chá de amendoins

Abrir a massa folhada e espalhar a colher de sopa de nutella pela massa muito bem, colocar num almofariz os amendoins e dar umas pancadinhas, eu como gosto de sentir o amendoim no interior não dei muitas. Enrolar a massa folhada como se fosse um canudo e com ajuda dos dedos molhados em um pouco de água fechar as pontas da massa para que esta não se abra facilmente. Com uma faca cortar o "canudo" em fatias com a largura de um dedo e colocar num tabuleiro forrado com papel de vegetal com a parte da espiral virada para cima. Pincelar os folhados com um ovo previamente batido e voltar a colocar os amendoins no almofariz e bater até ficar pó, colocar por cima dos folhados e levar ao forno durante 20 min em 180º.


Ingredientes: (queijo e fiambre)
1 embalagem de massa folhada (redonda)
1 colher de sobremesa bem cheia de tomate concentrado
1 colher de sobremesa de orégãos secos
6 fatias de queijo flamenco
4 fatias de fiambre da pá
1 ovo (pincelar)
sementes de sesamo pretas e brancas tostadas q.b.

Abrir a massa folhada com uma colher espalhar o tomate concentrado pela massa, polvilhar com os oregãos, colocar as fatias do queijo e de seguida as do fiambre. Enrolar a massa como se fosse um canudo e com ajuda dos dedos molhados em um pouco de água fechar as pontas da massa para que esta não se abra facilmente. Com ajuda de uma faca cortar o"canudo" em fatias com a largura de um dedo e colocar num tabuleiro forrado a papel vegetal com a espiral virada para cima, pincelar os folhados com o ovo batido e por cima colocar as sementes de sésamo a gosto. Levar ao forno durante 30/35 minutos a 180º.





Pickles de pepino e cebola roxa

De volta das conservas, hoje trago mais uma cheia de sabor e bastante fácil de fazer. Um boa semana!

Ingredientes: (2 frascos de 320 ml)
1 pepino grande
1/2 cebola roxa
80 ml de água
100 ml de vinagre de cidra
30 grs de açúcar mascavado
50 grs de sal
1 folha de louro
1 pau de canela
1 colher de sobremesa de coentros em grão
1 colher de sobremesa de mostarda em grão

Lavar bem o pepinos, cortar finamente com uma faca ou um robot de cozinha, colocar num tabuleiro (com rede) com sal e deixar repousar durante 1 hora. Passada essa hora, retirar o sal e secar os pepinos com um guardanapo. Comece por cortar a cebola às rodelas e começar por colocar nos frascos previamente esterilizados.

Numa panela pequena adicione o restantes dos ingredientes, mexa bem só para o açúcar derreter e deixe ao lume até ferver (vão sentir um aroma fantástico na vossa cozinha). Depois de fervido deixar arrefecer à temperatura ambiente e juntar ao pepino e à cebola. Deixar no friogorifico durante 2 semanas sem abrir e voilá. Quanto mais tempo ficarem nos frascos mais apurados ficam, à pouco tempo provei um dos meus e achei que sabia muito a canela, retirei o pau e coloquei mais vinagre, agora estão óptimos :)


Esta receita só poderia ter sido inspirada pelo grande  Jamie Oliver na Jamie magazine não me lembro o nº.