Gaspacho de pepino e menta e um convite para jantar

Chega hoje mais um convidado especial para jantar, desta vez o tema foi atribuído pelo blog De cozinha em cozinha que nos lançou o desafio de convidar um escritor contemporâneo.

Assim que vi o tema deste mês pensei logo neste convidado que apesar de felizmente para alguns ou infelizmente para outros, apenas editou um único livro, este!













Ramon Sampedro é o meu convidado e com ele trás as Cartas de Inferno, cartas/poemas e relatos escritos pelo próprio depois de ter sofrido um acidente muito grave que o deixou tetraplégico e que durante trinta anos viveu a sua tetraplegia sonhando com a liberdade através da morte. Não quero nem pouco mais ou menos gerar um debate sobre a eutanásia aqui na Marmita (não, mesmo!) quero apenas partilhar o que de bonito escreveu este senhor, acreditem que apesar da sua obsessão em morrer ele escreveu dos textos mais bonitos que eu já li até hoje, deixo aqui o poema mais conhecido e que deu o nome ao filme que muitos de voçês devem conhecer (desculpem por ser em Espanhol mas acho que as palavras soam melhor na lingua dele, podem no entanto ouvir aqui na voz do Javier Bardem, traduzido em Português)

Graças a este desafio acabei por ler novamente o livro e revi também o filme, comprovou mais uma vez a beleza dos seu poemas e da sua história de vida que em certos aspectos mudou a mentalidade de muita gente.

Mais uma vez, foi com a banda sonora do filme (também lindíssima), que o jantar foi servido. Um gaspacho de pepino, fresco, leve e com cheiro a Espanha bem como eu gosto. Falámos de tudo o que o levou a fazer o que fez, dos seus poemas que podiam dar bonitas musicas, das suas cartas que quanto a mim mudavam a opinião a qualquer um e de muito mais. Obrigada a Anasbageri e a todos os que ajudam a este desafio que nos faz relembrar coisas tão bonitas e tão importantes por vezes passam-nos ao lado.

Ingredientes: (2 pessoas)
2 pepinos
sumo de 2 limas
sal, pimenta,
15 folhas de menta

Colocar o pepino sem a casca e cortado em pedaços na liquidificadora, com o sumo da lima, as folhas de menta e deixar picar até ficar um creme homogéneo e só depois temperar com o sal a pimenta e o azeite a gosto, ligar mais uns 10 segundos e servir com uma rodela de lima e um fio de azeite.

Acreditem que para quem gosta de pepino é uma pequena maravilha, demora minutos a fazer e segundos a comer!

Receita retirada da Continente magazine que gentilmente me ofereceu esta Marmita, obrigada!

10 comentários:

  1. Que delícia eu adorei beijos

    ResponderEliminar
  2. Pena o meu pessoal não gostar de pepinos. Eu... fiquei fã desta receita
    Bjkas

    ResponderEliminar
  3. Esse gaspacho suscita-me curiosidade, pois por mais que queira não consigo imaginar essa conjugação, sobretudo da lima com o pepino... Interesante! Não cheguei a ver o filme, que me lembro de ver e ouvir falar, pois dado o tema levantou na altura controvérsia :)

    ResponderEliminar
  4. Não conhecia o escritor mas já fiquei curiosa, imagino que o livro seja uma lição de vida e pelo tema deve dar pano pano para mangas. Gaspacho de pepino... bem, nunca comi, mas gosto muito de pepino, quem sabe um dia me aventuro, um dia em que chegue o calor de verdade :)Boa semana

    ResponderEliminar
  5. Vi o filme Mar adentro e agora fiquei cheia de vontade de ler o livro :)
    quanto ao gaspacho: lima, pepino e menta? fiquei mais do rendida a experimentar esta explosão de sabores :)
    beijinho grande***

    ResponderEliminar
  6. Marmita,
    Nunca cheguei a ver o "Mar Adentro", nem sei porqu~e, porque queria muito vê-lo. Foi uma daquelas coisas que acaba por passar. Fica agora a lembrança e o conhecimento do livro. O poema é lindissimo. A tua escolha é perfeita. Uma escolha de força e coragem. Muito obrigada por esta participação.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Marmita,
    não li o livro mas tenho muita vontade porque gostei do filme.
    Esse poema é de facto impressionante e poderoso.
    O tema é de facto controverso e não vale a pena estar aqui a discuti-lo. Ficará tanto por dizer.
    Ah, e adorei o gaspacho. Pepino, menta e lima soa mesmo a Verão e a frescura. Beijinho.

    ResponderEliminar
  8. Não li o livro, nem conheço, agora de gaspacho gosto e muito. Esta versão original parece-me muito bem
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  9. O filme eu tinha visto, mas o livro não. Adorei a dica dos dois.. a receita está divina, apresentação e conceito. Adorei.

    ResponderEliminar
  10. Não vi o filme nem li o livro... Mas pela tua descrição fiquei cheia de vontade!
    Gosto imenso de pepino... Que óptima ideia! Parece bem cremoso!
    Um beijinho

    ResponderEliminar